O que você precisa saber para ter uma horta em vasos

Cada vez mais queremos saber a origem do que estamos colocando em nossa mesa. Ter algo cultivado por nós e oferecido a nossa família é mais do que a prática de um hobby, a jardinagem. É um gesto de carinho, de amor.

Mas ainda tem muita gente que acha que ter uma horta em casa é uma tarefa difícil. Não é! Você tem que conhecer as necessidades básicas das hortaliças e preencher todos os pré-requisitos necessários para o bom desenvolvimento de seus temperos. Basta compreender isso que você estará pronto para ter uma horta pra chamar de sua!

E o melhor: você pode cultivar seus temperos em vasos e assim decidir qual o melhor substrato, qual o melhor companheiro de vaso, acertar a necessidade de água e a luminosidade de cada um.

Eu costumo dizer que a grande vantagem de se cultivar uma planta em vaso é que é você quem decide tudo: para o bem e para o mal. Então vamos aprender direito para termos a horta mais saborosa de todas!

ONDE ENCONTRAR AS MUDAS DE TEMPERO

Hoje em dia está muito fácil: em supermercados, em Garden Centers, em Floriculturas, em chácaras e grandes distribuidores.

Escolha uma muda saudável. Este é o primeiro passo para o sucesso.

TAMANHO DO VASO

Lembre que as plantas são colocadas à venda no auge de sua beleza. Isso significa que quando elas chegarem em casa a tendência é que elas fiquem cada vez pior. Isso se aplica também às hortaliças. Então, assim que puder transfira suas mudas para um vaso maior.

LUMINOSIDADE

Os temperos precisam de pelo menos 3 horas de sol DIRETO por dia. Esse é um pré-requisito básico para o desenvolvimento das suas hortaliças.

Dê uma volta na sua casa ou apartamento e ache esse local!!! É aí que os seus temperos vão se desenvolver corretamente!

OS MELHORES COMPANHEIROS DE VASO

Depois temos que escolher a composição dos vasos. Você pode plantar uma espécie de tempero por vaso. E estudar a necessidade de cada um.

Agora, se você tiver pouco espaço ou achar mais interessante colocar vários temperos num mesmo vaso, temos que estudar quais vão melhor plantados juntos porque têm a mesma necessidade.

Uma boa maneira de entender essas necessidades é pensar na origem das hortaliças.

Podem ser plantados juntos:

Temperos de origem mediterrânea: não gostam de umidade nas raízes e são resistentes ao vento. Gostam de um substrato mais drenável.

  • Alecrim
  • Oregano
  • Tomilho
  • Salvia…

Temperos que gostam de mais umidade (e sofrem um pouco com vento)

  • Manjericão
  • Salsinha
  • Salsão
  • Coentro
  • Cebolinha 

Melhor plantar sozinho

Hortelã e mentas em geral (passam o sabor para os outros temperos).

Louro (vira uma árvore).

MONTAGEM DOS VASOS

A montagem dos vasos obedece a seguinte sequência:

Camada de drenagem:

no fundo do vaso coloque argila expandida ocupando cerca ¼  a 1/3  do vaso. Cubra toda a argila com um pedaço de manta bidim.

Substrato:

Para os temperos de origem mediterrânea:

– ½ substrato para floreira

– ½ areia comum

Para os demais temperos:

Eu uso somente o substrato para floreira. Se o local receber mais do que 3 horas de sol, ou receber um pouco de vento, ou se o substrato secar demais com o passar do tempo, eu coloco um pouco de vermiculita misturada no substrato.

Cobertura: 

O ideal é cobrir o substrato para manter a umidade da sua horta. Alguns tipos de cobertura são: serragem, aparas de grama, palha, casca de árvore, pedrisco, argila expandida… Eu gosto da casca de árvore por ser mais ornamental e se tornar matéria orgânica conforme ela vai entrando em decomposição.

DISPOSIÇÃO DOS VASOS

Já conhecendo as necessidades dos temperos você pode escolher quem fica na frente ou quem fica atrás, pegando um pouco mais ou menos de sol.

Sugestão de composição de vasos:

  • Vasos do mesmo modelo de diversos tamanhos diferentes, podendo ter a mesma cor ou não
  • Vasos de diversos modelos e tamanhos diferentes, todos da mesma cor
  • Vasos iguais, um ao lado do outro, cada um com um tempero diferente
  • Vasos retos idênticos grudados um no outro, formando uma espécie de jardineira
  • Jardineiras, formando canteiros diferentes

REGA

A rega da sua horta deve ser diária. Os temperos gostam de água!!! Se se tiver muito calor, você pode regar pela manhã e no fim do dia!

Agora é com você!!!! Coragem!!! Logo mais você estará colocando na sua mesa temperos fresquinhos colhidos de seus próprios vasos!!!

Frutífera em vaso: pode ou não pode? Aprenda a plantar!

Não só pode como deve!!!

Por: Gabi Pileggi @jardineirofiel

Se engana quem pensa que pra cultivar uma frutífera precisa de um espaço externo gigante.
Cultivar uma frutífera em vaso é possível e não é tão difícil quanto parece!
Se você quer ter uma na sua casa, fica por aqui que vou te ensinar o passo a passo de como cultivar frutífera em vaso e fazer esse sonho virar realidade!

Passo 1: Escolha do vaso

A escolha do vaso é uma etapa muito importante. Quando cultivada dentro de um espaço restrito a planta possui menos área para se desenvolver, desse modo tem seu crescimento mais limitado do que se estivesse plantada diretamente no solo.
Sendo assim, escolher um vaso adequado já é meio caminho andado para garantir a saúde da sua frutífera. O ideal é que o vaso tenha aproximadamente 2x o tamanho do torrão da planta, assim as raízes poderão crescer e a planta se desenvolver melhor.

Passo 2: Drenagem do vaso

A drenagem é um ponto importantíssimo. É fundamental que essa etapa seja muito bem-feita e caprichada! A camada de argila expandida e manta de bidim são fundamentais para evitar que a água se acumule no fundo do vaso, garantindo a saúde da raiz da planta.
Se você tem dúvidas em como fazer a drenagem confere o vídeo sobre plantas pendentes que eu expliquei o passo a passo!

Passo 3: Qualidade do solo

A vantagem de ter uma frutífera cultivada em vaso é que você é quem vai decidir a qualidade do solo em que ela será plantada. Portanto escolha um substrato de boa qualidade e rico em matéria orgânica. Um solo vitaminado significa que sua planta irá absorver bons nutrientes durante as diversas fases do seu desenvolvimento.

Passo 4: Adubação

Depois da escolha do substrato é importante garantir que esse solo se mantenha nutrido fazendo a sua adubação. A adubação pode ser orgânica ou química, de acordo com sua preferência. Faça disso uma prática regular, de preferência mensal.

Passo 5: Iluminação

Uma frutífera precisa de sol para se desenvolver bem: no mínimo 4 horas de sol direto por dia. Sem sol a frutífera não vai pra frente! Ela pode sobreviver, mas não dará flores e nem frutos.

Passo 6: Rega

No geral as frutíferas gostam de água. Como ficam expostas ao sol e o substrato tende a secar rapidamente, a sua rega acaba sendo quase que diária. Mas esta não é uma regra. Só molhe quando verificar que o substrato está realmente seco e precisando de água (técnica do dedômetro).

Escolha das espécies

Para te ajudar na escolha das espécies, fiz uma listinha de algumas frutas que podem ser colhidas em vasos:

  • Jabuticaba
  • Limão (taiti, siciliano, galego etc)
  • Laranja
  • Laranja-kinkan
  • Mexerica
  • Manga
  • Araçá
  • Maçã
  • Acerola
  • Romã
  • Figo
  • Pitanga
  • Lichia
  • Goiaba
  • Grumixama

etc…

Você consegue encontrar a venda mudas pequenas já produzindo! É um mimo! Ou seja, cabe em qualquer casa ou qualquer apartamento!
Fiz um vídeo ensinando como plantar a sua frutífera em um vaso… é muito simples!
Dessa vez resolvi plantar minhas espécies preferidas nos vasos da Coleção Recôncavo… adoro fazer essa brincadeira com eles de empilhar, misturar cores e alturas diferentes!
Da uma olhada no vídeo e me diz se não ficou linda minha varanda!!!!

E se restar dúvidas, manda pra cá!

3 Passos simples para reproduzir plantas do seu jardim.

Por Gabi Pileggi @jardineirofiel

Como começar?

Pensar no termo “reprodução de plantas” assusta um pouco, não é mesmo? Parece algo sério e complicado, que só pode ser feito por especialistas em laboratórios ou grandes estufas.

Mas, pode ser algo muito mais simples que isso!

Quero ensinar um jeito simples para qualquer pessoa começar a tentar. Sem precisar recorrer num primeiro momento a um livro de jardinagem ou biologia pra estudar minuciosamente como fazer essa multiplicação. Vou mostrar que todo mundo é capaz.

A técnica de reprodução que vou utilizar pra gente começar é a estaquia (difícil né? mas não precisa decorar!).

Primeiro Passo: Escolha da Planta

Vamos escolher plantas com raízes externas para ser nossa primeira experiência de reprodução de plantas, pois elas pegam muito mais rápido!

Como identificar esse tipo de planta? Elas vão ter, além das raízes que estão fixadas e escondidas na terra, outras aparentes ao longo do caule.

Fiz uma listinha aqui de algumas que costumo encontrar no meu dia a dia, mas existem milhares de outras. Basta observar:

• Singônio

• Jiboia

• Trandescantia

• Scindapsus

• Peperômias

• Heras

• Hemigrafis

• Clusias

• Agaves

• Algumas suculentas

• Filodendros…

Segundo Passo: Como Extrair a sua Muda

Depois de localizar as raízes externas na planta que pretende reproduzir, com uma tesoura (de poda ou simples, dependendo da largura do galho que pretende cortar) você vai fazer um corte na diagonal logo abaixo da raiz identificada.

O galho extraído para fazer a nova muda deve conter: um pedaço de caule com uma folha, na parte superior, e com um pedaço de raiz aparente, na parte inferior.

Se você quiser já montar um novo vaso, extraia várias mudinhas para que seu vaso fique bem formado.

Terceiro Passo: Como Plantar sua Nova Muda

Se você quiser simplesmente reproduzir uma nova planta para depois decidir qual será o seu destino final, coloque substrato num vasinho e plante a sua muda de maneira que a raiz externa fique coberta pelo substrato. Regue logo após o plantio e mantenha sempre o solo úmido.

Se a ideia é já deixar um vaso pronto com as mudas obtidas, prepare a camada de drenagem do vaso escolhido com argila expandida e manta geotêxtil. Depois coloque substrato até o nível desejado. Faça o plantio das mudinhas dando um espaçamento entre elas. Lembre que elas vão crescer!

Aaaah, para essas reproduções de plantinhas eu usei os vasos oval Hanazaki nos tamanhos M e G na cor cinza granito, eles estão disponíveis na loja virtual.

Fiz um vídeo na minha casa de praia reproduzindo algumas plantas que tenho por lá! Dá uma olhada pra não restar dúvidas!

E se restar, manda pra cá!

Plantas pendentes: Guia para escolher, plantar e cultivar a sua pendente em vasos.

Nosso dia a dia está cada vez mais corrido, não é mesmo? E nessa correria temos cada vez menos tempo pra cuidar da nossa casa.  As pessoas estão cada vez mais práticas. Morando em lugares mais compactos, aderindo à onda do essencialismo, vivendo somente com aquilo que precisam. E não querem ter trabalho… Mas não precisamos exagerar!

Sua casa tem que ser seu lar!  Você tem que sentir aconchego e acolhimento… E é aí que vou puxar a sardinha pro meu lado: um simples ingrediente pra que isso aconteça é:  Adicione um vaso de planta à sua decoração e você vai começar imediatamente a sentir esse aconchego que eu estou falando.

Porque escolher uma planta pendente?

Você pode estar argumentando que na sua casa não tem onde colocar uma planta… que você tem pouco espaço… que não cabe um vaso…

Então vou te dar uma dica: vai de pendente! Essas plantinhas têm muita presença! Muitas vezes basta um vaso com uma muda delas pra você sentir a presença do verde em casa.

Onde colocar a sua planta pendente?

As possibilidades são muitas!!!  A ideia é colocar a sua pendente num lugar mais alto e esperar que ela vá preenchendo o espaço.

Pensa naquela jiboia que você coloca lá em cima de uma estante e ela vai aos poucos se espalhando e soltando seus cachos para os andares de baixo!

Elas ficam um charme também em cima de um móvel – um aparador, uma escrivaninha, uma mesa de centro…, fazendo a composição com a decoração.

E tem uma outra maneira de usar a sua pendente: colocando em um suporte aéreo! Se não tem espaço no chão, nem espaço em móvel, é só pendurar no teto!

Percebe que pra ter uma planta pendente a gente não precisa mesmo de muito espaço?

Pendentes fáceis de encontrar e cultivar dentro de casa

Entre as espécies mais fáceis de encontrar estão:

  • Peperômia
  • Jiboia
  • Singônio
  • Ripsalis
  • Columéia
  • Hera
  • Tradescantia

 

Todas essas que citei são pendentes que devem ser cultivadas a meia sombra, ou seja, não precisam da luz direta do sol o dia todo e por isso mesmo se adaptam muito bem em ambientes internos.

Vasos ideais para plantar pendentes

Se você tem pouco espaço eu indico os vasos: cumbuca bojuda P, cumbuca alongada P, vaso ripado P, vaso karajá 16 e vaso bacia P.

Se cabe um vaso um pouco maior, de porte médio, te indico:  vaso cumbuca bojuda M, vaso cumbuca jardineira, vaso cumbuca jardineira redonda, karajá 25 e bacia M.

Mas se você tem um mega espaço e quer que a sua pendente seja o ponto turístico da casa, vá sem medo no vaso bacia G ou no Vaso Disco desenvolvido por Zanini de Zanine, ambos os vasos podem ser usados com suporte aéreo ou no tripé.

 

Garanto pra vocês que essas plantinhas farão a maior diferença no clima e astral da casa! Agora é só se jogar na escolha das espécies e colocar a mão na massa! E não se preocupe, para te ajudar nessa missão fiz um vídeo ensinando o passo a passo de como plantar uma pendente! Confira aqui e não esquece de contar pra gente o que achou!

E, aproveitando que você está bem aí, que tal aproveitar e dar uma passada na loja virtual? Assim, você pode iniciar sua jornada no mundo das plantinhas adquirindo um lindo vaso!